Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2016

O SENTIDO DE CUIDAR E EDUCAR AS CRIANÇAS

Ana Maria Louzada
O modo como cuidamos e educamos as crianças revela a nossa concepção de cuidar e de educar, e em especial como concebemos o ser criança e as múltiplas infâncias.
Cuidar envolve ação de Educar, assim como Educar pressupõe cuidados importantes no processo de formação das crianças.
Cuidar das crianças exige Educação e Diálogo. Por isso, não podemos perder de vista os cuidados que devemos ter com os nossos exemplos. Exemplos de quem de fato está cuidando. Precisamos ter cuidados com o jeito como abordamos determinados assuntos, bem como, cuidados para não exigirmos das crianças, atitudes e ações que não correspondam aos tempos espaços da infância.
Cuidar nessa perspectiva significa ir além dos atos de tomar conta, de alimentar na hora correta, de garantir a higiene necessária, mesmo que todos esses cuidados sejam primordiais para o seu pleno desenvolvimento físico, emocional e intelectual.
Ressaltamos nessa reflexão a importância dos cuidados que educam. Do sentido de cuidar …

PRÁTICAS SOCIAIS E CULTURAIS INFANTIS

PRÁTICAS SOCIAIS E CULTURAIS INFANTIS 
  Ana Maria Louzada
A criança não se basta no processo de aprendizagem. Ela precisa interagir com o objeto de conhecimento e com o “outro”. A criança precisa interagir com as diferentes atividades que permeiam as práticas sociais e culturais, para apropriar-se dos diferentes conhecimentos, dentre os quais se destacam as práticas de leitura e de produção de textos. É importante aprender a ler e a escrever num processo significativo de interlocução com as atividades lúdicas – práticas sociais e culturais infantis.

Você também pode gostar de...
O DESAFIO MAIOR... É EDUCAR AS CRIANÇAS QUE TESTAM A NOSSA PACIÊNCIA
ERROS QUE DEVEMOS EVITAR NA EDUCAÇÃO DOS FILHOS
EQUILÍBRIO DE OPINIÕES... FAZ UM BEM ENORME ÀS CRIANÇAS UM BOM EXEMPLO VALE POR MIL PALAVRAS...

PRECISAMOS OUVIR MAIS AS CRIANÇAS!

A criança tem o direito de aprender por meio de situações de brincadeiras.

Ana Maria Louzada
A criança tem o direito de brincar.
E por meio das brincadeiras...
Aprender os diferentes e diversos conhecimentos.
Quando falamos em brincadeira, geralmente nos remetemos às questões ligadas à infância, como se fosse uma mera “coisa” de criança. Esse pensamento naturaliza a atividade infantil.
Contrapondo-se a essa forma de conceber as brincadeiras, destacamos as brincadeiras, atividades lúdicas, como práticas sociais e culturais infantis, que são produzidas, apropriadas e objetivadas nas interações cotidianas.
Isso significa que a brincadeira não é inata. As crianças aprendem a brincar. E aprendem os conhecimentos que permeiam o ambiente em que vivem quando brincam.
Daí a importância de se garantir um ambiente saudável em atividades lúdicas. De organizar o dia-a-dia das crianças, com espaços tempos de brincar: brincadeiras preferidas das crianças, brincadeiras que estimulem as relações interpessoais, que promovam o desenvolvimento do raciocínio lógico, que instiguem as …

DIA SETE DE SETEMBRO