Pular para o conteúdo principal

UM BOM EXEMPLO VALE POR MIL PALAVRAS...


UM BOM EXEMPLO VALE POR MIL PALAVRAS...

Ana Maria Louzada

É um equívoco exigir das crianças, atitudes que não são vivenciadas por quem educa. 
 
Os pais e as mães, bem como as demais pessoas que cuidam das crianças são suas referências. 
 
Cada detalhe das suas ações cotidianas é  apropriado pelas crianças. Por isso, um bom exemplo vale por mil palavras... 
 
A criança observa quando alguém diz para falar que não está ao tocar o telefone; quando a obriga comer determinados alimentos, mas que também deixa de comer outros; quando diz que não se deve ficar muito tempo na televisão, mas passa o dia assistindo seus programas preferidos, etc.

 Você também pode gostar de ler








Postagens mais visitadas deste blog

A ROTINA NA HORA DE DORMIR PARA O BEM ESTAR DAS CRIANÇAS

A ROTINA NA HORA DE DORMIR PARA O BEM ESTAR DAS CRIANÇAS
Por Ana Maria Louzada[1]
Dormir mal tem prejuízos para o desenvolvimento das crianças e para a qualidade do seu humor.
No post anterior, discutimos sobre a importância do ciclo completo do sono, isto é, uma boa noite de sono propicia um dia bem humorado.

Um sono tranquilo ajuda no seu desenvolvimento intelectual, emocional e social, com implicações significativas no seu bem estar ao longo do dia.

Nesse post vamos destacar sobre os cuidados com a rotina antes da hora de dormir, bem como sobre a necessidade de orientações, mediações e acompanhamento diário, para que as crianças possam aprender sobre os benefícios do sono.

As orientações na organização da rotina devem iniciar desde a mais tenra idade, sempre com o cuidado de considerar que à medida que as crianças crescem, elas exigem mediações adequadas ao período da infância que estão vivendo.
Isso porque, a rotina precisa ter conexão com os tempos (horários) e com o tempo da infânci…

COMBINADOS, QUANDO DIALOGADOS TRANSFORMAM RELAÇÕES ENTRE ADULTOS E CRIANÇAS

Ana Maria Louzada[1]
Temos ouvido ao longo dos tempos, que fazer combinados com as crianças é de extrema importância em sua formação. 
Sim! Concordamos, pois ao inserirmos as crianças em práticas de discussões e reflexões estaremos contribuindo com o processo educativo das mesmas.
No entanto, o que mais observamos são combinados unilaterais. Os adultos ditam as normas e as crianças obedecem. São pseudo-combinados, tendo em vista que não se oportuniza o diálogo sobre as questões em voga. Tipo: “hoje nós vamos à pracinha, mas você não pode correr, não pode isso... não pode aquilo e não...não e não. Combinado?”
Dessa forma, o que estamos de fato fazendo é ditando as normas a serem cumpridas e não combinando com as crianças as atitudes que precisam ser vivenciadas no decorrer do passeio. 
Melhor seria: “Hoje vamos à pracinha. Vocês já conhecem o melhor espaço para brincar? Para que possamos aproveitar o nosso passeio precisamos combinar algumas coisas...” E assim, permitir que as crianças expr…

VOCÊ SABE O QUE É PRECISO PARA EDUCAR AS CRIANÇAS?